segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

FERIADOS NACIONAIS E PONTOS FACULTATIVOS PARA 2012

O governo federal divulgou nesta segunda-feira, no "Diário Oficial da União" a relação de feriados nacionais e pontos facultativos para 2012.

São 16 datas, sendo oito feriados nacionais e oito pontos facultativos para órgãos públicos federais. Não entram na lista as datas municipais ou estaduais lembradas com feriado ou ponto facultativo.

DATA                DIA DA SEMANA           TIPO                                    MOTIVO

1º de janeiro         Domingo                        Feriado                                   Confraternização Universal
20 de fevereiro      Segunda                          Ponto facultativo                      Carnaval
21 de fevereiro      Terça                              Ponto facultativo                      Carnaval
22 de fevereiro      Quarta                             Ponto facultativo até as 14h       Quarta-feira de Cinzas
6 de abril             Sexta                              Ponto facultativo                      Paixão de Cristo
21 de abril           Sábado                            Feriado                                   Tiradentes
1º de maio           Terça                               Feriado                                  Dia Mundial do Trabalho
7 de junho           Quinta                             Ponto facultativo                      Corpus Christi
7 de setembro       Sexta                              Feriado                                   Independência do Brasil
12 de outubro       Sexta                              Feriado                                   Nossa Senhora Aparecida
28 de outubro       Domingo                         Ponto facultativo                      Dia do Servidor Público
2 de novembro      Sexta                              Feriado                                  Finados
15 de novembro    Quinta                             Feriado                                  Proclamação da República
24 de dezembro     Segunda                          Ponto facultativo                     Véspera de Natal
25 de dezembro     Terça                              Feriado                                  Natal
31 de dezembro     Segunda                          Ponto facultativo                     Véspera de Ano Novo

Segundo a portaria, assinada pela ministra Miriam Belchior (Planejamento), os órgãos federais também devem seguir os feriados estaduais e municipais.

O texto diz ainda que outros dias de guarda das religiões dos funcionários federais podem ser seguidos desde que autorizados pelo responsável pela unidades administrativa e compensados depois.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

DISCIPULADO – Orientações Episcopais

Durante muito tempo a vida cristã tem sido vista apenas como uma opção meramente religiosa que vem até nós por uma mera tradição cultural, histórica ou familiar. Precisamos entender que essa não foi a intenção, nem o desejo de Jesus Cristo, pois sua única vontade é bem clara nas Escrituras Sagradas: “fazer discípulos e discípulas”.. Assim sendo, a conversão cristã não visa trazer a cada um de nós um espírito meramente religioso, mas trazer mudanças profundas em nosso caráter, em nosso modo de falar, pensar e agir.

Se isto estiver claro na sua vida, você entenderá o que é discipulado cristão. Você entenderá que ser membro de uma igreja local é muito superficial perto da importância e profundidade de ser um discípulo ou discípula de Jesus Cristo. Ser discípulo exige, além do comprometimento, mudanças profundas em nossa vida.

Se você entender isto, entenderá também que “fazer discípulos e discípulas” é a missão de todos e todas que servem ao Senhor Jesus, portanto, não é algo opcional, algo que eu possa escolher se quero ou não, mas é uma ordem de Jesus Cristo. Se a ordem bíblica não basta para você, é também uma ênfase na vida e no ministério do Rev. John Wesley e do “povo chamado Metodista”; mas se ainda não basta, é uma decisão conciliar da Igreja Metodista no Brasil; se isto ainda não basta, me desculpe, me perdoe, mas você deve procurar uma outra igreja que esteja sujeita à sua vontade, pois a Igreja metodista está sujeita à Palavra de Deus (Bíblia) que é a nossa “única regra de fé e prática”, e não a pessoas teimosas como você.

Bispo Roberto Alves
Bispo Roberto Alves
Uma vez que Deus nos abre o entendimento, devemos compreender a ênfase do discipulado dentro da visão que está sendo desenvolvida em nossa Região Eclesiástica, para que não haja desvios. O discipulado não é um projeto, ou um programa, mas é um “estilo de vida cujo modelo é Jesus Cristo” (carta do Colégio Episcopal). Esse modelo nos leva a amar o nosso semelhante (Jo. 13.35, 1 Jo. 4.8), e assim nos tornamos seguidores de Deus. Seguidores são aqueles que, além de andar no caminho, desenvolvem o caráter de Cristo em sua vida. Áreas fundamentais para a visão do discipulado que queremos desenvolver em nossas igrejas locais: Grupos societários sabiamente organizados por faixa etárias (homens, mulheres, jovens e juvenis). Os Ministérios (serviço) são espaços nos quais exercitamos os dons (ferramentas) para o cumprimento da missão onde a igreja está inserida. Sobre a Escola Dominical nem se fala, pois ela é uma prática fervorosa do discipulado e finalmente, os Grupos Pequenos ou Células.

Precisamos tomar uma decisão que não seja opcional de cada Metodista, mas que seja normal que cada um, ao ser recebido como membro da igreja local, seja também, automaticamente, ligado ao seu grupo societário, seja integrado a um ministério, seja matriculado na Escola Dominical e integrado a um Grupo Pequeno ou Célula.

Assim sendo, Discipulado é ter 100% dos Metodistas nos Grupos Societários, nos Ministérios, na Escola Dominical e nos Grupos Pequenos ou Células. O discípulo é aquele que está totalmente integrado em sua comunidade de fé. Cremos que esta é uma grande estratégia de crescimento espiritual, orgânico, qualitativo e crescimento quantitativo. Que Deus tenha misericórdia de nós e nos ajude a entender que ser discípulo ou discípula não é opcional.

sábado, 17 de dezembro de 2011

CONCÍLIO GERAL EXTRAORDINÁRIO ELEGE O REV. CARLOS ALBERTO TAVARES COMO NOVO BISPO DA REMA


O reverendo Carlos Alberto Tavares Alves, de 66 anos, foi eleito bispo na tarde desse sábado, 17, durante a reunião extraordinária do 19º Concílio Geral da Igreja Metodista. Na ocasião, foi homologada pelo Colégio Episcopal a designação do novo bispo para a Rema, Região Missionária da Amazônia. O bispo Carlos Alberto irá suceder o bispo Adolfo Evaristo de Souza, que faleceu há 47 dias.

Votação - A votação começou por volta das 14h e não demorou. No quarto escrutínio, o bispo Carlos Alberto foi eleito com 85 votos. O reverendo Nicanor Lopes ficou com 65 votos na última apuração dos votos.
Sobre a eleição o novo bispo comentou que foi um momento espiritual. Disse que na hora em que o resultado foi anunciado ele pensou: 'aconteceu'. "Foi uma confirmação para o que eu já tinha experimentado esperitualmente. Foi muito forte para mim", compartilha.

Sonhos - Logo depois da eleição o bispo Carlos Alberto se reuniu com outros bispos e presbíteros da Rema e recebeu as informações necessárias. "Já estou sonhando com a Rema. Os desafios me alimentam. Sonho com 3 ou 4 regiões dentro da Rema, nem que sejam regiões missionárias. Quero investir na liderança, valorizar muito o pessoal que está lá. Quero firmar parcerias e continuar o trabalho que já vem sendo desenvolvido. Isto é o que me move: sonhos."
O bispo Carlos Alberto Tavares Alves tem 42 anos de ministério pastoral no Rio de Janeiro, 1ª Região Eclesiástica. Nos últimos dez anos ele esteve a frente da Igreja Metodista Central em Teresópolis.
"O meu ministério é um ministério de sonhos, de visão. Tem se caracterizado por implantação de igrejas. Eu creio que nos últimos 15 anos, nós conseguimos implantar 15 igrejas novas. Tem sido assim, um ministério voltado para a evangelização, avivamento espiritual, preocupado com as pessoas e investindo em líderes", disse o novo bispo.

Transmissão - A reunião extraordinária do 19º Concílio Geral e a eleição episcopal foi transmitida ao vivo pela internet. Centenas de pessoas acompanharam em tempo real também pelas redes sociais.
"Certamente, esse momento é um divisor de águas na vida da nossa Igreja Metodista. A eleição de um novo bispo para a REMA certamente apontará novos rumos missionários, novas estratégias, surpreendentes ações de Deus em mobilizar o povo para a construção do Reino", compartilhou no portal nacional da Igreja Metodista Antonio Augusto de Souza.
O conclave foi no templo da Catedral Metodista de São Paulo e reuniu delegados e delegadas das oito Regiões Eclesiásticas e Missionárias do Brasil.
Confira a cobertura da eleição e a entrevista exclusiva com o novo bispo na próxima edição do jornal Expositor Cristão.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Bispo fará leitura das nomeações pastorais na próxima quarta-feira

Durante um culto na Igreja Metodista de Cascadura, na próxima quarta-feira (dia 14), às 19h30min, o bispo Paulo Lockmann fará a leitura das nomeações pastorais para o biênio 2012-2013.


Quem acompanhou a transmissão do 40º Concílio Regional pela Radio Vida e Missão (www.vidaemissao.com.br), também poderá assistir ao vivo esse momento que define o destino dos pastores em nossas igrejas.

O endereço da Igreja Metodista de Cascadura é Avenida Ernani Cardoso, 115.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

OS LÍDERES PRECISAM SE ACERCAR MAIS DE “NATÃs” QUE DE “JOABEs”


OS LÍDERES PRECISAM SE ACERCAR MAIS  DE “NATÃs” QUE DE “JOABEs”

Bispos, Bispas, Superintendentes Distritais, Pastores e Pastoras, enfim, todos os que exercem alguma função de liderança nunca vão conseguir trabalhar sozinhos.

Há uma canção que diz: “quem anda sozinho pode ir mais rápido, mas nem sempre vai mais longe...” Uma grande verdade!

No entanto, quem são as pessoas que nos cercam? Quais são seus verdadeiros interesses?  Que tipo de diferença eles(as) fazem em nosso ministério? Que influências sofrem e exercem em nosso ministério? São amigos(as) ou apenas interesseiros cegos e incapazes que “chamar nossa atenção”, dizendo-nos, de vez em quando: “...vejo que você está equivocado...” por medo de perder uma posição, ou simplesmente por se acovardarem?

Refletindo seriamente neste tema, fui levado a pensar em 3 personagens: O REI DAVI, NATAN E JOABE:

REI DAVI: Davi, Rei de Israel, um homem segundo o coração de Deus, viveu uma experiência terrível ao se envolver com Batseba. O desejo de ter em seus braços uma linda mulher, fez com que cometesse um grande pecado, a ponto de planejar e pedir a consumação de um terrível homicídio, mandando assassinar um homem inocente. Neste sentido, é interessante notar como o pecado muitas vezes cega o ser humano, a ponto de não permitir que enxergue os caminhos tortuosos que está trilhando. Davi se entregou tão profundamente ao erro que perdeu a noção do certo e do errado. Não conseguia enxergar que tudo aquilo que estava fazendo, que possuir a mulher de outro homem, que cometer um assassinato, era algo terrível e totalmente fora da vontade de Deus. O pecado conseguiu apagar a sua visão espiritual, o temor do Senhor que havia em seu coração.

JOABE: Então Davi concebe um plano para esconder seu caso com Bate-Seba. E o pôs em ação enviando uma mensagem a Joabe, general do seu exército. A mensagem dizia, "Manda-me Urias, o heteu" (2 Samuel 11:6). Ora, Urias era o marido de Bate-Seba, e pertencia à Infantaria do exército de Israel. É evidente que Urias era parte de um grupo de elite de soldados, pois as escrituras o citam como um dos trinta e sete homens mais fortes de Davi (v. 23:39). Quando recebeu a mensagem de Davi, Joabe deve ter começado a suspeitar de algo. Ele conhecia o coração de Davi, inclusive suas tendências lascivas. Ainda assim, o general instruiu Urias a ir a Jerusalém, para ver o quê Davi tinha para dizer. Quando Urias chega, Davi o recebe na residência real e imediatamente o envolve em conversa militar. Pergunta, "Como está a guerra? E como está indo o seu general? Os soldados estão progredindo?". Urias deve ter se perguntado, "Do que se trata? Sou apenas um soldado da Infantaria. Não fiz nada para merecer esse tipo de atenção". Ou, também poderia desconfiar. Ele poderia ter ouvido algum comentário sobre o caso (apesar de que as escrituras não declaram que o caso era de conhecimento público). A verdade é que Urias estava sendo enganado por Davi. O rei achou que o problema seria resolvido se apenas conseguisse pôr Urias no leito de Bate-Seba uma noite. Então Urias pensaria que ele havia provocado a gravidez da esposa. Davi lhe diz: "Você guerreou uma batalha longa, e deve estar cansado. Vá pra casa e descanse essa noite. Mandarei manjares especiais para você aproveitar". Mas quando Urias saiu, não foi para casa. Pelo contrário, dormiu na casa dos guardas fora do palácio. Quando Davi soube disso no dia seguinte, chamou Urias de volta e perguntou: "Por que você não ficou com sua esposa ontem à noite?". Urias responde: "Joabe, meu senhor, e os servos de meu senhor estão acampados ao ar livre; e hei eu de entrar na minha casa, para comer e beber e para me deitar com minha mulher? Tão certo como tu vives e como vive a tua alma, não farei tal cousa" (2 Samuel 11:11). Urias só conseguia pensar em seus companheiros soldados. A sua lealdade deve ter fervido a cabeça de Davi. Agora o pânico do rei cresce. Ele rapidamente ordena que Urias permaneça em Jerusalém mais uma noite. E põe em ação outro plano. Essa noite, ele iria convidar Urias para jantar, enchê-lo de muito vinho e deixá-lo bêbado. Se Urias perdesse a noção das coisas, se esqueceria dos outros soldados e iria querer dormir com a esposa. Dá para você imaginar esse piedoso rei, um pregador da retidão, tentando deixar bêbado um de seus fiéis soldados? Foi exatamente que Davi fez. E o plano funcionou: Urias ficou bêbado. Davi instruiu os guardas do palácio, "Levem esse homem para casa, e o ponham na cama". Mas outra vez, as escrituras dizem, "À tarde, saiu Urias a deitar-se na sua cama, com os servos de seu senhor; porém não desceu a sua casa" (11:13). A essa altura, o pânico de Davi saiu de controle. Ele sabia que tinha de fazer algo drástico. Então escreve uma carta a Joabe, ordenando que colocasse Urias na linha de frente em meio à pior das batalhas. Então, quando o exército inimigo ondulasse à frente, Joabe deveria recuar todas as tropas exceto Urias. Resumindo, Davi queria Urias morto. Davi entrega uma carta selada nas mãos de Urias, com instruções para que fosse dada a Joabe. O leal Urias não sabia, mas o rei tinha acabado de lhe entregar a garantia da própria morte. Quando Joabe leu a carta, entendeu a idéia de Davi. Mas obedeceu a ordem do rei mesmo assim. Enviou Urias numa missão suicida. E, exatamente como Davi tinha planejado, o soldado foi morto em batalha. O que, infelizmente, veio a acontecer. É difícil conceber que um homem piedoso e justo como Davi pudesse cair num pecado tão terrível. Mesmo hoje, com todas as notícias sobre estupro, violência e morte, a história de Davi se destaca como uma das piores quedas já sofrida por um líder. Por que? Porque aconteceu com um homem de Deus, uma pessoa apaixonada pela justiça. Provavelmente você se lembra do que aconteceu a seguir: Bate-Seba chorou a morte do marido por sete dias, segundo a lei. Aí Davi a trouxe para o palácio, onde se juntou ao seu harém de esposas (ele já tinha cinco). Posteriormente, Bate-Seba deu à luz o filho de Davi. E durante todo um ano após o assassinato, Davi não mostrou nenhum sinal de arrependimento por seus atos. Na verdade, justificou a morte de Urias junto a Joabe, dizendo que Urias tinha morrido devido aos infortúnios da guerra: "A espada devora tanto este como aquele" (11:25). Davi pode ter visto o seu pecado com leviandade, mas Deus não. As escrituras dizem: "Porém isto que Davi fizera foi mal aos olhos do Senhor" (11:27).

NATÃ: Mas em meio a toda essa cegueira, existiu um homem que conseguiu abrir os seus olhos. Lemos em II Samuel 12 acerca do envio de Natã a Davi. Este homem, através da unção de Deus, expôs uma história a Davi e conseguiu trazer a sua consciência o seu pecado. Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor...” (II Sam. 12:13). Naquele momento, caíram-lhe as escamas dos olhos e Davi e conseguiu compreender a extensão do mau que havia cometido. “Contra ti, contra ti somente, pequei, e fiz o que é mau diante dos teus olhos; de sorte que és justificado em falares, e inculpável em julgares”  (Salmo 51:4). Ou seja, foi preciso que um homem se levantasse para conduzir Davi à consciência e ao perdão de Deus.

CONCLUINDO: Bispos, Bispas, Superintendentes Distritais, Pastores e Pastoras, enfim, todos os que exercem alguma função de liderança sempre serão acompanhados de “Joabes”, capazes de tudo para agradar o(a) “chefe”, sem questionar, ainda que tenha a nítida consciência que tudo aquilo vai significar uma grande perda para o(a) “chefe” e para o Reino de Deus. O pior é que a nossa tendência como líderes é de gostar e nos acomodarmos com tais “Joabes”. No entanto, por mais desagradáveis e desnecessários que possam parecer, precisamos nos acercarmos de verdadeiros “Natãs”. O problema é que os “Natãs” modernos nem sempre estão debaixo dos holofotes, nem sempre estão tomando a palavra nos microfones dos Concílios Gerais, Regionais, Distritais e Locais para se auto-promoverem. Temos de orar, nos dias de hoje, para que o Senhor levante e nos mostre muitos Natãs em nosso meio, ou seja, servos de Deus que estejam dispostos a serem usados pelo Senhor para nos fazer enxergar quando estamos equivocados, fazendo-nos perceber nossos equívocos e maus caminhos. Convém salientar, neste sentido, que qualquer um de nós pode errar e andar por caminhos tortuosos como aconteceu com Davi se não nos mantivermos vigilantes. Por este motivo, é importante que servos de Deus como Natã se levantem em nosso meio para nos conduzir à verdade quando preciso, para nos trazer cura. Uma atitude bonita em Natã, foi que ele, ao ministrar sobre a vida de Davi, não o fez com arrogância, nem apontou de imediato os seus erros, nem se portou com atitude acusadora. Percebemos que ele lhe contou uma história, levando-o a refletir sobre suas atitudes, aguçando, deste modo, a sua consciência como homem e servo de Deus. É desta forma que precisamos pedir a Deus que nos mostre os “Natãs” e trazê-los para junto de nós para que possamos ser bem sucedidos no chamado que Deus tem para nossas vidas.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

NOTA DE FALECIMENTO: PAULO CÉSAR "GRAÇA E PAZ"


Morreu às 19:30 na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Pronto Socorro de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, o famoso radialista carioca Paulo César "Graça e Paz" Faria, o “Graça e Paz”. Ele sofria com diabetes e depois de complicações na doença veio a falecer no último dia 6 de Dezembro, terça-feira.

Graça e Paz ficou famoso por seu estilo jovem e de fala com muitas gírias que contagiou pessoas popularizando o estilo “louvorzão” de fazer eventos. Em meio a diversas igrejas mais tradicionais ele ajudou a divulgar no Rio de Janeiro ministérios então inovadores como o Som Maior, Vencedores por Cristo, Grupo Elo, Marcos Goés, Jayrinho, Grupo Logos, Rebanhão e muitos outros.

Ele começou na década de 80 na rádio Boas Novas AM e logo foi para a então famosa Radio Record. Foi vereador de São Gonçalo por dois mandatos (2001 a 2008) e era Missionário consagrado pela Igreja Metodista. Ele viajava o Brasil e alguns países realizando pregações

“A prefeita solicitou toda assistência à família do Graça e Paz. Era meu ‘irmão’, um dos melhores na tribuna e fará muita falta à política de São Gonçalo”, disse o vereador Jorge Mariola, ex companheiro político. Na página da Wikipédia destinada ao radialista um anônimo deixou um recado: “Saudades do Amigo. Vá em paz e que o Senhor te receba de braços abertos!”, disse.

Graça e Paz tinha 61 anos e faria aniversário no dia 25 de Dezembro, Natal. Seu corpo foi sepultado nesta quarta-feira, 7 de dezembro, no Cemitério de São Gonçalo.

Fonte: Gospel Mais

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

NOMEAÇÕES EM ÁUDIO PARA O BIÊNIO 2012/2013 - IGREJA METODISTA 1ª REGIÃO ECLESIÁSTICA (ÁUDIO COM BISPO E REFLEXÃO)

video

REFLEXÃO:

Os membros das Igrejas e Pastores e Pastoras da Igreja Metodista estão vivendo um Advento Duplo. O primeiro, claro, refere-se a um dos tempos do Ano Litúrgico e pertence ao ciclo do Natal. A palavra advento que origina-se do verbo latino advenire, que quer dizer chegar. Advento é tempo de espera d’Aquele que há de vir. Pelo Advento nos preparamos para celebrar o Senhor que veio, que vem e que virá; sua liturgia conduz a celebrar as duas vindas de Cristo: Natal e Parusia. Na primeira, celebra-se a manifestação de Deus experimentada há mais de dois mil anos com o nascimento de Jesus, e na segunda, a sua desejada manifestação no final dos tempos, quando Cristo vier em sua glória.
O segundo, refere-se as nomeações para o Biênio 2012/2013, que ocorrerá dia 14 de dezembro, quarta feira, num culto especial, na Igreja Metodista em Cascadura, onde o Bispo Paulo Lockmann lerá as nomeações, em que aguardamos o nascimento de um novo tempo, um novo biênio de empenho, dedicação e realizações em prol do Reino.

Muitas expectativas! Tempo de muitas especulações! Muitas nomeações apócrifas nos bastidores! Mas, tudo isso faz parte deste momento...
Creio que Deus está o controle e que a Igreja é a noiva de Cristo.

O maior interessado nas nomeações é o próprio noivo. Ele sabe exatamente quem vai cuidar bem de sua amada noiva: a Igreja.

Portanto, é bom deixar claro as(aos) mais afoitos que Deus não está nem um pouco preocupado, nem se importa com aqueles (Pastores, Pastoras e Membros de Igrejas) que querem escolher a "melhor Igreja", o "melhor salário", as "melhores posições", os(as) "Pastores(as) mais legais, mais convenientes", etc...

Deus se preocupa com sua Igreja, com o seu povo.

E, tenho a mais clara convicção, que a mão de Deus regerá, como exímio Maestro, as mãos de nosso Bispo (Homem de Deus) e, cada um(a) irá, exatamente, para onde Deus quer que vá.

Tenho dito à minha Igreja: "Nem um dia a mais. Nem um dia a menos." Deus vai me deixar aqui ou me tirar no tempo Dele.

Creio que uma Igreja sábia deve orar, não para o(a) Pastor(a) fique ou saia, mas para Deus faça exatamente a sua vontade que é "... boa, perfeita e agradável" (Romanos 12:2)

Vamos continuar orando pelas Igrejas, pelos SDs, pelo Bispo, pelos(as) Pastores(as).

Até o dia 14 de dezembro muitas coisas ainda podem acontecer.

Muita coisa ainda pode mudar!

Aquilo que, para alguns é tido por certo, pode se tornar uma grande surpresa.

Para aqueles(as) que estão esperando no Senhor e tem convicção do Seu chamado, fica a paz de espírito e a lembrança da benção que acompanhava vida do Patriarca Isaque na terra dos Filisteus (Gênesis 26): ONDE ELE ABRIA POÇO BROTAVA ÁGUA, POIS A BENÇÃO DE DEUS ESTAVA COM ELE!

Para todos nós Pastores e Pastoras, desejo que esta convicção esteja em nossas vidas.

Somos chamados por Deus e cada um(a) de nós estará exatamente onde Ele quer que estejamos.

E onde Ele nos colocar FRUTIFICAREMOS para Glória do nome do nosso amado Senhor e Salvador.

Com carinho!

Rev. Ednaldo Breves
Pastor da Igreja Metodista em São Pedro - Barra Mansa - RJ

Jesus: Um messias na rua

Untitled document
"Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles."
(Mt 1.18-25)

Natal é recordação, e mesmo atualização da obra que o Filho de Deus ao nascer entre nós veio realizar. É também uma recordação permanente do papel fundamental da mulher e da criança na obra da Salvação.
Primeiro, Maria, uma mulher simples, ocupa um papel de destaque na história da Salvação, lugar antes reservado a profetas e reis, quase sempre homens.
Por outro lado, o relato deixa claro que ainda assim ela é vulnerável, pois sua gravidez é posta em suspeita, os homens tinham de legitimá-la. Se não fosse a intervenção do anjo, Maria teria permanecido rejeitada. Aqui fica claro que a Salvação começa por restabelecer a dignidade da maternidade.
A situação da gravidez de Maria segue sendo uma denúncia por não dispor de condições mínimas de segurança. O risco corrido por Maria de estar só e sem recursos segue sendo a situação de fragilidade e marginalidade que muitas mães vivem nas ruas de nossas cidades. Homens que não assumem a paternidade são mais frequente do que desejaríamos. Apenas ocasionalmente uma ou outra mulher consegue na justiça que um ou outro homem assuma sua responsabilidade.
Na verdade, o risco que Maria correu é o drama real de muitas mulheres. Com Maria o socorro de Deus veio nas expressões da mensagem do anjo de Deus. Onde estão hoje os anjos de Deus? Cabe à Igreja servir de mensageira de Deus às mulheres que solitárias dão à luz a seus filhos, algumas nas ruas de nossas cidades. Dessa forma é que entendemos Jesus como Salvador, aquele que nos envia para salvar o povo de seus pecados, ou seja, de suas misérias, injustiças, impiedades. Sim, resgatar da solidão da miséria é ajudar as pessoas a conhecerem Jesus e nele a Salvação.
Em segundo lugar, sobre uma criança, o menino Jesus, começa a se construir o sonho de Deus, aquele que como disseram os anjos aos pastores: "...eis aqui vos trago boa nova (Evangelho) de grande alegria, que o será para todo o povo." Jesus, o menino, é sinônimo de boa nova, de grande alegria. E assim também é o nascimento dos nossos filhos: é uma grande alegria acolher a chegada de uma criança, para isso nós preparamos: o ambiente, o melhor possível, o enxoval, roupas e outros utensílios, preparados em cada família quando está para nascer uma criança. A acolhida do Filho de Deus deveria ser festejada pelo povo de Israel, e recordada por nós. Deus ouviu o clamor de seu povo e lhe deus o Messias, ou, como disse Simeão, a Salvação de Deus, Redenção de Jerusalém. Mas não foi assim, o menino nascido de Deus, por sua serva Maria, foi quase rejeitado pelo pai. Além disso, foi ordenada sua morte ainda quando criança, pelo rei Herodes. E, finalmente, não havia lugar para ele, nem na estalagem. Assim, o nascimento de Jesus, além de trazer o sonho de Deus, traz denúncia ao descaso com as crianças.
Muitas das nossas crianças são mortas nas ruas das nossas cidades, fruto da violência que se instaurou ao nosso redor, mortes planejadas e ordenadas pelos novos Herodes. Até quando Senhor??? São nas ruas do Centro do Rio ou nas periferias e lugares, por todo lado vemos crianças a nos anunciar, recordar: Nasceu de novo Jesus. E do mesmo modo não há lugar para a Maria de Jesus dar à luz a sua criança. Sem lugar, sem nome, e algumas sem pai e sem mãe. Até quando Senhor???
Sim, não havia lugar para Jesus em Israel. Difícil ironia: o tão esperado não encontra lugar. Por quê? Porque o rei queria conservar seu poder seus acordos com Roma, porque a ordem social e econômica que ele organizara seria confundida.Não havia lugar para Jesus na própria religião judaica, pois os sacerdotes e escribas em sua teologia não tinham lugar para um Messias como ele. O padrão teológico da religião judaica era estranho para o padrão de Jesus: seu nascimento, suas companhias, seus discípulos, em tudo se diferenciava dos religiosos. Finalmente, não havia lugar para Jesus na vida das pessoas: os desafios pessoais apresentados por Jesus foram rejeitados por muitos; o exemplo do jovem rico, que se afasta, recusando dar o que tem aos pobres e segui a Jesus, ilustra os termos claros da boa nova: trata-se de compromisso exclusivo com Jesus, perdão e justiça aos que nEle creem, especialmente os pobres, pois, afinal, a maioria dos ricos já tem a sua consolação.
Assim. O Natal deve ser um momento de pensarmos nos anúncios que ele traz, e também as denúncias que ele sublinha. Quando estivermos fazendo nossas compras, pensemos nos verdadeiros sentidos no Natal, falemos ao derredor: Natal é mais do que estas vitrines, presentes. É verdade que já sabemos, mas não e verdade que anunciamos o que sabemos. Tampouco vamos permitir que nosso Natal ocorra somente entre quatro paredes; vamos tirar nossa festa de dentro de casa, de dentro do templo, e vamos colocá-la nas ruas, como fazem os comerciantes. Sim, sejamos criativos. Levemos o Natal para a praça, preparemos uma cantata, algo diferente. Vamos incomodar, no bom sentido, o povo; vamos chegar junto das pessoas nas ruas. Sim, preparemos a festa para todos, pois Jesus é a boa nova de alegria para todo o povo! ALELUIA!
Bispo Paulo Lockmann