sexta-feira, 20 de novembro de 2015

COMO LIDAR COM A INGRATIDÃO

"A ingratidão é o mais horrendo de todos os pecados." (Alexandre Herculano)


"A ingratidão é um direito do qual não se deve fazer uso." (Machado de Assis)

"Existem três classes de ingratos: os que silenciam diante do favor; os que o cobram e os que se vingam." (Ramón y Cajal)

"Existe três cachorros perigosos: a ingratidão, a soberba e a inveja. Quando mordem deixam uma ferida profunda." (Lutero)

“Ter um filho ingrato é mais doloroso do que a mordida de uma serpente!” (William Shakespeare)

Como dói a ingratidão!

A ingratidão dos amigos, dos pais, dos filhos, do esposo, da esposa, etc..., dói demais, e, se não soubermos como lidar com a situação, ficamos uma pessoa amarga, fria e sem coragem para ajudar ninguém. 

Enfim, há caso em que a decepção com a ingratidão é tão forte, principalmente a de um(a) filho(a) para com os pais, que a pessoa que sofre a ingratidão tem vontade de morrer.

Existem duas palavrinhas simples que jamais deveriam deixar de ser ensinadas, aprendidas e colocadas em prática: "Por favor" e "Muito Obrigado(a)"

Infelizmente, ora somos alvos da ingratidão, ora somos agentes da ingratidão.

O que fazer quando somos alvos da ingratidão?

Em primeiro lugar devemos rever o nosso conceito de amor desinteressado.

Infelizmente, sempre que fazemos algo, geralmente pensamos numa contraprestação, seja na terra, seja no céu. 

Esta maneira equivocada de viver tem sido o pivô das muitas desgraças interiores na vida de quem sofre a ingratidão.

Precisamos aprender a fazer exatamente o que precisa ser feito para quem necessita, sem esperar nada em troca. 

Quem faz assim não fica refém do reconhecimento do outro, nem se machuca com a ingratidão, pois nunca esperou nada em troca.

Outra coisa a ser feito é perdoar, tocar a vida e não cair no mesmo erro do ingrato, falando mal, cobrando, lastimando, etc..., do contrário, a pessoa que sofreu a ingratidão vai carregar o fantasma do ingrato pelo resto da vida.

O que fazer quando somos agentes da ingratidão?

O ser humano tem a tendência em ser ingrato por natureza. Poucas pessoas agradecem a Deus pela vida, pelo ar, pelo alimento, pela água, pela família, pelo sacrifício vicário de Jesus, pela Igreja, etc...

Geralmente reclamamos pelo que não temos e não somos gratos pelo que temos.

Há uma frase que diz: “Quem é grato pelo que tem, recebe o que não tem. Quem reclama o que não tem, acaba perdendo até o que já tem.”

Paulo, escrevendo aos Tessalonicenses 5:18 diz: em tudo daí graças, pois esta é a vontade de Deus.

A gratidão é possível! Pode ser aprendida e praticada com pequenos gestos, pequenas palavras.

Tem filhos que acham normal ter roupa lavada, comida pronta, casa, cama, etc... e nunca pararam e deram um abraço carinhoso na mãe e no pai, e disseram: 
- Muito obrigado pai, pelo seu esforço! Obrigado mãe, pelo teu cuidado...

Quem sabe estas palavras estão tocando o teu coração e você está descobrindo que ainda não agradeceu a Deus, seus pais ou pessoas que um dia te estenderam as mãos.

O que fazer?

Comece agora. 


Peça perdão a Deus e, e seguida diga-lhe, de todo coração: Muito Obrigado Senhor! 


Tire um tempo e relacione tudo de bom que Deus já te deu e agradeça.

Procure as pessoas que um dia te estenderam as mãos e não economize palavras e abraços.

A cura virá. Tanto para nós, quanto para as pessoas que um dia foram alvos de nossa ingratidão.

Que o Senhor nos cure! 


Que o Senhor nos ajude! 


Que o Senhor nos transforme!

3 comentários:

Ana Fatima disse...

Muito bom. Foi muito bom udo que li. Tava quase em depressão já.

Ana

José Guimarães disse...

Muito boa reflexão, Rev. Ednaldo.

Infelizmente, muitas pessoas acham que não precisa agradecer por entender que seja uma obrigação tudo aquilo que fazem por elas.

Filhos dizem: "Eu não pedi pra nascer". Com isso, justificam a obrigação dos pais de fazerem tudo aquilo que eles querem. E para ontem.

A Deus, então, muitas pessoas se sentem superiores em tudo. Tem vergonha ou orgulho de reconhecer no Criador o Salvador de todos os homens e mulheres.

Em Jesus

Jeannie Barreto disse...

Excelente artigo! Obrigada por compartilhar :)!